segunda-feira, 4 de junho de 2007

Mais Livros... Dicas

Nesses últimos dias comprei esses dois livros...
Vamos ler?

Livro 1.
O que dizer de um livro onde, logo em suas primeiras páginas a narradora diz: “Eis um pequeno fato: você vai morrer”. Não, não se assuste com a afirmação pois, apesar de realmente ser proferida pela própria Morte, você tem nas mãos uma história criada para virar um clássico. "É a história de um desses sobreviventes perpétuos, uma especialista em ser deixada para trás". A sobrevivente chama-se Liesel Meminger, uma menina que, abandonada pela mãe, para não morrer igual a ela, nas mãos dos nazistas, acaba entregue a um casal alemão numa cidadezinha perto de Munique, em 1939. Entre este ano e 1943, por três vezes Liesel encontrou a morte e por três vezes a venceu. A narradora, derrotada, explica: "É só uma pequena história, na verdade, sobre, entre outras coisas, uma menina, algumas palavras, um acordeonista, uns alemães fanáticos, um lutador judeu e uma porção de roubos... mas quando a morte conta uma história você deve parar para ouvir". O autor dessa pequena obra prima tem apenas 31 anos, chama-se Markus Zusak é australiano, e conseguiu com uma habilidade impar construir um libelo contra a tirania e o medo, usando para isso a linguagem, o amor aos livros e a palavra como sua principal arma. É conhecido por sua obra dirigida ao público infanto-juvenil, como o premiado "I Am the Messenger". Do Conselho Australiano de Livros Infantis, recebeu o Prêmio Livro do Ano para Leitores Mais Velhos. " A menina que roubava livros" está há 43 semanas na lista dos mais vendidos do New York Times. Encante-se.

Livro 2.
História comovente que humaniza os conflitos entre os sentimentos humanos mais genuínos (incluindo alguma crueldade), e aqueles impostos por uma cultura rígida e injusta: o romance O Caçador de Pipas (Nova Fronteira, 368 págs.) apresenta Amir, filho de um rico empresário afegão, que mantém sob seus cuidados Hassan, um garoto pobre de outra etnia. Apesar da fidelidade de Hassan, Amir parte para os Estados Unidos depois da invasão soviética, deixando o amigo para trás.
Preste atenção em como o percurso de Amir é marcado por uma tentativa de expiação de culpa — não só a pessoal, mas uma mais difusa, de resolução impossível, e que diz respeito a sua própria identidade cultural.
O autor, o afegão Khaled Housseini, nasceu em Cabul em 1965 e se refugiou nos Estados Unidos depois da invasão do país pela extinta União Soviética. Formado em medicina, vive atualmente na Califórnia.
O que já se disse:
Entre os livros de ficção, o número 1 durante 37 semanas é O Caçador de Pipas. Já vendeu 500.000 exemplares. Outro negócio de Midas: seus direitos foram comprados por 15.000 dólares pela Nova Fronteira. O livro faturou 15 milhões de reais — e um quarto disso é a parte da editora.” (Revista Veja, 15 de novembro/05).

Uma ótima leitura para quem ainda não teve a oportunidade para ler esses livros.
__________________________________________
"Saborear um chocolate é tb ter nas bocas o desejo escondido, mais do revelado, mas que não ousa dizer o nome!!!! Tão rápido encontro em intensos abraços trouxe a certeza de que gosto do gosto gostoso de gostar de vc!!!!"

7 comentários:

Rafael disse...

to quernedo ler o cacador d pipas.. mas so futuramente, to lendo 2 livros ao mesmo tempo.. c eu comecar mais um, enlouqueco...

Sieger disse...

Eu quero ler o caçador de pipas tb

Bruna disse...

No O caçador de pipas, o autor quis mostrar o mundo em que vivemos, como são as pessoas com que realmente convivemos. Não ligamos para as diferenças, não discutimos, sempre falamos: “Eles são diferentes e não podemos mudar isso e NÃO vamos mudar”, parece que não temos uma oportunidade, que na verdade temos muitas! Nunca estamos dispostos a mudar. Então o autor quis realmente conscientizar as pessoas, para mostrar o que às vezes fazemos com os outros sem querer e, depois, como eles se sentem. Nós somos Amir e os discriminados são Hassan. Você concorda?

Beijos

Nara disse...

Tbm quero o caçador de pipas, mas estou lendo outro.......

Descobri seu blog hj, mtu bom heim...vou te fav pra visitar mais vezes...

Beijoss

DO disse...

O "caçador" foi o melhor livro que li este ano.
Já tinha ouvido falar muito bem sobre sua primeira indicação. Agora fiquei ainda mais interessado em le-lo.
Abração!

Luciana Farias disse...

Aiaiai, não tenho conseguido ler. Ultimamente, só ilustro. rsrsrsrs...

Beijão!!!

Carlinha disse...

O caçador eu li, mas sobre a menina que roubava livros eu ainda quero... Ai, que invejinha, rs!
Beijos!