sábado, 10 de janeiro de 2009

digo que o MENINO DE PALAVRAS está ficando doente. disjuntado, caiu na reticencia da morte e tossiu frase nenhuma. começou a tropeçar em vírgulas. já não sabia parar em pontos finais. iniciou uma sucessão de espirros fraseados, pouco receptíveis. feitos sem parágrafos. emudeceu e, por isso, assassinou o bloco e a caneta. estancou a tinta e rasgou as folhas em metades
de palavras reformadas.
digo que o menino de palavras nunca conseguiu caçar palavras felizes - é uma área restrita, disse-lhe o administrador, certo dia. ele nunca acreditou e, por isso, ele arriscou dicionários e enciclópedias, trilhando os caminhos recurvados das promessas e dos sonhos.
digo que o caçador de palavras se aventurou demasiado e se perdeu tanto na aventura como na demasia.

5 comentários:

Anônimo disse...

As palavras são rebeldes.
Não podem ser caçadas sem que elas reclamem.
:)

Beijos.

Lidiane disse...

(o comentário anônimo é meu, saiu sem querer).

As palavras são rebeldes.
Não podem ser caçadas sem que elas reclamem.
:)

Beijos.

Pedro disse...

Não há perigo em se perder nas palavras quando se sabe domá-las.

Sabrina Davanzo disse...

Tão lindo! :)

Adlianny disse...

Adorei o post... o blog é lindo.adorei sua descrição tbm.
Alguns pontos em comum, sou fascinada pelas reticências, pela fotografia e sobretudo pela magnifica Psicologia(curso o quarto semestre)...
Adorei mesmo e coloquei vc em meus favoritos,perdão se foi liberdade,mas quero voltar sempre aqui.
Beijo grande.