quarta-feira, 9 de abril de 2008

Deu uma clara e sonora gargalhada. Lembrei-me do som que eu fazia brincando de soprar em garrafas cheias de água. Era tão divertido ouvir aquela risada quando eu repiti a pergunta: 'Você é menino ou menina?'.

- Não me importo se você me chamar de 'menina', pois aí eu e você seremos cada um de um tipo.

- Deve ser ainda mais estranho pensar que é estranho ser aquilo que se é. Creio que ninguém nunca vai encontrar uma pedra que acha estranho ser uma pedra. E com certeza nenhuma tartaruga acha incrível ser uma tartaruga. Mas parece que certos seres humanos acham estranhíssimo ser um ser humano. E eu concordo plenamente com eles. Nunca me senti no mesmo comprimento de ondas das pedras nem das tartarugas.

- A criação inteira é um enigma, um quebra-cabeça. Mas o mais estranho de tudo é que nas beiradas desse grande quebra-cabeça existem alguns seres que sentem a si mesmos como um um quebra cabeça.

- E por que isso é tão estranho?

- É mais ou menos como se um poço conseguisse mergulhar nas suas próprias profundezas.

- Já fiz isso muias vezes.

- Se os seres humanos tivessem surgidos como frutinhas num galho, você também perguntaria por quê. Seja qual for a maneira como algo acontece, sempre poderia ser muito diferente.

- Que idéia maluca! E quanto mais eu penso nela, mais maluca ela é.

Eu já tinha muito o que fazer com meus próprios pensamentos.

- Imagine se houvesse um só sexo. Ou mesmo três: talvez fosse melhor.

- Você não acha que só os homens e as mulheres já criam bastante confusão?

3 comentários:

edu disse...

E bota confusão nisso. Dois sexos é muito. Um sexo é muito! Nenhum sexo é demais!! :-)

Beijo!

Carol Rodrigues disse...

não, nada de tres sexos
homem já é complicado o bastante
mulher ja é complicada o dobro
mais um tipo, ninguem ia aguentar

ou não

*divago

DO disse...

Estes pensamentos são pra pirar mesmo.

Abração,SILVIO!