quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Já fiquei na frente do espelho me olhando nos olhos. Daí eu imagino que sou um poço tão fundo que não consigo enxergar lá dentro, nas profundezas mais profundas.


Isso faz lembrar de Clarice Lispector em A Paixão Segundo G.H.
"Eu me pergunto: se eu olhar a escuridão como uma lente, verei mais que a escuridão? a lente não devassa a escuridão, apenas a revela ainda mais. E se eu olhar a claridade com uma lente, com um choque verei apenas a claridade maior."

8 comentários:

Lidiane disse...

Clarice sempre faz pensar, né?

Um beijo pra você e um olhar, assim, bem no fundo da alma.

DO disse...

Ultimamente é melhor eu não tentar enxergar nada,hehehe
Abração,SILVIO!!

Jana disse...

Clarice sempre tem as palavras certas...

beijos

Teresa disse...

Meuuuuuu, Clarice é perfeita.

como alguém pode escrever assim hein? não tem um só texto dela que passe despercebido pela alma das pessoas.

Pedro disse...

Certas vezes é melhor não olhar através da lente.

Cin disse...

Puxa achei que era só eu que tinha essas viagens...

Mas se tem tu e até Clarice fico mais tranquila rs


Bjinhos!

Igor disse...

eu gosto tanto das profundezas mais profundas...

E Clarice é o cara! =)

:*

Bruno disse...

HAiUAHIUAh

Nossa... muito lega...

Eu me olho no espelho, e não vejo quase nada... Sei lá, é estranho dizer o que vejo..

HAiUAHiUAi

A respeito do teu comment no reform, a mulher da casa (minha mãe, no caso) faleceu em novembro... É este o motivo de eu ter vindo morar com meu pai em São Paulo.
Meu pai morava aqui e lá, já que ele trabalha aqui (e nós morávamos lá)... Para não ter que fazer essa ponte toda semana, ele resolveu se mudar de vez para São Paulo e trazer eu e meu irmão com ele...

Explicado?

=)