terça-feira, 27 de março de 2007


Aqui dentro é opaco,

Morto, obscuro, estático.

Nada se sente, nada se fala.

Só percebo ruídos

vindos de algum lugar,

criados por um "não sei quem".

Mas no quarto, vejo luz.

Vejo um brilho nascente da rua,

nascente do sol, da vida.

Aqui dentro choro, canto,

assisto, me encanto, torço,

me apaixono, enlouqueço.

Mas a luz me desperta a vida...

Deixa aqui dentro,

um sopro de esperança, de futuro.

É um alento à sofridão do buraco,

a vida que vivo,

a alegria que não tenho,

a correria que não preciso,

os ritmos que não gosto,

os perigos que não corro.

Percebo tudo isso através de um ponto.

Imperfeito, na arquitetura da janela...

Perfeito na escuridão da alma.

6 comentários:

Tm disse...

não sabia desse teu lado poético!

=D

Tm disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lindinha disse...

Muito lindo!!!
Passando pra desejar uma semana deliciosa, com muito prazer, seja ele qual for.
Tem uma proposta no Decifra-me. Vem conferir?
Beijo no coração...

“Decifra-me... ou devoro-te... Arrisque-se se for capaz.”

P.S.: Você não usa msn?

Márcia(clarinha) disse...

Quanta tristeza nesse canto escuro...linda poesia.
meu carinho nesse dia,
beijosssssss

BiaNi LuNa disse...

Aqui dentro só choro :~

Sieger disse...

Achei lindo o que vc ecsreveu... Lindo, porém, escuro...
Ânimo, cuate!